Find us on Google+

Widgets


O primeiro Missão Impossível, é um belo thriller com excelente acção, o segundo um brainless eyecandy, o terceiro o melhor de dois mundos + o toque de J.J. Abrams (Lost, Star Trek, Super 8). Sobre "Missão Impossível 3", em 2006 terminei a critica [ler] com a seguinte frase: "... se existir uma quarta Missão: Impossível, não deixavam mais ninguém, além de Abrams mexer na franquia.". Pois bem, Abrams não está na cadeira de realizador - que foi passada para o estreante em live action, Brad Bird - mas está na equipa de produtores. Considero esta quarta entrega uma evolução do trabalho de J.J.Abrams em M:I 3, e que Bird (Os Incriveis, Ratatui) fez uma excelente estreia na realização em imagem real. 
Os heróis.
 O plot não é o mais original do Mundo, mas cumpre bem a função de manter as coisas em movimento. O elenco protagonista encabeçado por Tom Cruise tem uma química excelente, e - coisa rara em filmes mais vocacionados para acção -  personagens com motivações e conflitos interiores, relevantes para o desenrolar da história. Atenção: existe humor, principalmente quando os planos dão para o torto, e nem sempre a cargo do repetente Simon Pegg como seria de esperar. Jeremy Renner (Hawkeye em "Thor" e no próximo "Avengers") e Paula Patton foram uma excelente surpresa!
Os vilões.
A própria banda sonora do genial Michael Gianchino - mais old school que a anterior, também da sua autoria - reflecte o espírito mais perto do das séries de TV, o trabalho em equipa.O ponto onde perde para a sua predecessora é na falta de um vilão-mor carismático, que é compensado por vários vilões e pelo bem que funcionam todas as outras engrenagens da máquina deste potente filme. A minha sócia na critica dela [ler aqui] já mencionou além disso os estilosos cameos, carros e vestimentas, de que destaco o que bem que Paula Patton fica de verde (e eu nem sou do Sporting!):

Para concluir só posso acrescentar: porra, toca a fazer o "Missão Impossível 5" antes que o Tom Cruise fique fora de forma e tenha que ser substituído por um clone CGI (sim, Arnie, estou a falar contigo!). 

4 comentários até agora:.

  1. Eu passei sempre a sessão de sorriso nos lábios tal é a comédia que este filme é... O Simon Pegg é um cromo daqueles bem grandes!!!

    Para mim o Cruise ainda vêm bem divertido do filme do ano passado que fez com a Diaz... e eu gostei bastante!

  2. CINE31 says:

    Nuno, sim, o humor foi inesperado e bem vindo! Eu estava sozinho na sala de cinema por isso fui o único a rir a bom rir!

  3. Ainda não tive oportunidade de ver... mas espero que não me desiluda.

  4. CINE31 says:

    Eu acho que vale mesmo a pena :) entretenimento do bom! mas não devolvo dinheiro dos bilhetes ;-)

Deixe o seu comentário:

Partilhe os seus comentários connosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...