Find us on Google+

Widgets



Permitam-me um pré-desabafo: muitas vezes criticamos os realizadores norte-americanos por usarem a máquina de propaganda patriótica, mas verdade seja dita - são poucos os países que têm a capacidade de tocar em feridas internas como os Estados Unidos da América. 

Boune Legacy pegou nos filmes anteriores em que Matt Damon foi a estrela máxima. Quando foi anunciado que Jeremy Renner tinha sido o actor eleito para encarnar o novo super soldado, a comunicação social, a crítica, os fãs ficaram divididos - para uns seria uma missão impossível, para outros Renner foi a escolha certa - terão os Avengers ajudado para a aceitação ou para a descrença? Não sei... Não interessa... 
Tudo em Legacy se afasta da aventura Marvel, e contribui em grande parte para este facto, a característica flashback da narrativa do filme. Jason está sempre na sombra do filme e a explicação para o que se passa neste quarto filme passa muito pela história dos 3 anteriores.

-- // -- Vamos recordar: 

The Bourne Identity
Homem ferido e sem memória. Segue as pistas, descobre um chip, vai à Suiça e descobre que se chama Jason Bourne. Muita gente morta à sua volta, tem grandes conhecimentos sobre técnicas de luta, fala muitas línguas. Conhece a Marie, vão juntos na aventura.

The Bourne Supremacy
Passados dois anos, Bourne e Marie continuam juntos, na tentativa de levar uma vida anonima e em paz. Marie é morta, Jason ingressa numa vingança e reencontra aqueles que andava a fugir

The Bourne Ultimatum
Jason Bourne na sua tentativa de descobrir a sua própria vida, dá nas vistas e a comunicação social descobre a sua existência. A CIA não gosta. Extingue o programa que deu origem a Jason e cria outro - Blackbriar. Cuja finalidade é na mesma a criação de "super soldados" com o objectivo de - entre muitas coisas - matar Bourne. Nicky Parsons (Julia Stiles) junta-se ao enredo. 

Fim de recordação -- // -- 



O que é que este Bourne Legacy acrescenta à saga Bourne? Pouco... Muito pouco. Arrisco mesmo dizer que este filme parece-me ser é uma apresentação / introdução ao novo herói. Ao mesmo tempo que o argumento está preso por pontas soltas e por algumas personagens ao passado, é demasiadamente rápido a contar o presente e também ele deixa pontas soltas para o futuro.
Renner como Aaron Cross é competente, é um actor de acção. Rachel Weisz interpreta a cientista Marta Shearing que depois de ter a sua vida salva por Cross, alia-se ao espião numa fuga alucinante que passa por Manila e envolve comprimidos, vírus, alterações genéticas, etc. Desculpem os fãs e aqueles que gostaram de ver a actriz neste filme, mas para mim Rachel Weisz (apesar de ser mulher de Daniel Craig) não é uma actriz de acção. É demasiado frágil para correr. 

Edward Norton é Eric Byer, um ex-piloto da Força Área americana, agora à frente de uma daquelas organizações que ninguém percebe muito bem o que é, mas que mandam em tudo e todos. Norton é daqueles actores que sabemos capaz de que conseguir o melhor. A sua carreira estará para sempre associada a American History X - fasquia elevada... mas, aqui temos o medíocre. 
Espero que, se a saga continuar, Norton apareça mais e anseio sinceramente que se torne mais vilão e menos estratega de sala.

É um filme de acção para ver num domingo à tarde. Não exige grande esforço mental na sua visualização, mas se puderem vejam os outros 3 antes - ajuda.

Entretanto deixo a notícia em primeira mão: é oficial, Renner vai fazer parte do elenco de The Expendables 10 - A Aventura Geriátrica.

Categorias: , , ,

14 comentários até agora:.

  1. António says:

    deve ser para juntar o Cross e o Bourne no próximo filme para ficar parecido aos Mercenários

  2. CINE31 says:

    queria tanto ver "The Expendables 10 - A Aventura Geriátrica." :D

  3. CINE31 says:

    e não fazia ideia que a Weisz era casada com o James Bond :P

  4. Peço desde já desculpa pela minha total ignorância, mas quem é o Cross?

  5. yap... infelizmente.
    Eu e ela - não dá

  6. CINE31 says:

    Sócia? "quem é o Cross?" ??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

  7. ok... finalmente e depois de longo esforço intelectual (mas com grande ajuda do David) percebi a estupidez da minha pergunta

    DAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    não era mais fácil os personagens principais dos filmes bourne se chamarem bourne...

    POR FAVOR

  8. CINE31 says:
    Este comentário foi removido pelo autor.
  9. CINE31 says:

    "não era mais fácil os personagens principais dos filmes bourne se chamarem bourne..."

    Computer says... no

  10. Anónimo says:

    quando a ignorância é grande é melhor ficar em silêncio do que abrir a boca (neste caso a escrita) e demonstrar ignorância total.
    obviamente não temos que saber de tudo mas quando opinamos devemos saber um pouco sobre o tema.
    se nada se sabe aprende-se lendo.

  11. a prova de ignorância máxima é a falta de "colhões" de um comentário anónimo

  12. Exmo. Sr. Anónimo
    Ainda bem que você sabe isso. Já só lhe falta cumprir o que acaba de dizer.

    Se nada de jeito tem para dizer, aprende-se a estar calado.

  13. Exmo. Sr. Anónimo
    Ainda bem que você sabe isso. Já só lhe falta cumprir o que acaba de dizer.

    Se nada de jeito tem para dizer, aprende-se a estar calado.

Deixe o seu comentário:

Partilhe os seus comentários connosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...