Find us on Google+



Graças à parceria da RTP com este remake, nos últimos dias o espectador da TV Pública foi agraciado com o privilégio de ter as suas cavidades oculares e auditivas repetidamente violadas pelo mesmo trailer em loop. A cereja no topo no bolo foram as entrevistas " filmar um filme é tão diferente de filmar televisão/as filmagens foram só rir" nos serviços noticiosos. E queixavam-se quando o Marco deu um pontapé na Sónia do Big Brother e abriu o Jornal da TVI...

O original não envelheceu muito bem, mas é considerado um clássico da época. A sua maior contribuição para a pobrezinha cultura pop nacional foi a frase "Ó Evaristo! Tens cá disto?".


Que nesta nova versão não sobreviveu incólume:


Leitores assíduos sabem de não sou subscritor do "Evangelho de Santidade da Obra Original". Sou a favor de remakes, reboots, reimaginações e variações de histórias. Infelizmente, a maioria deles é pior que um balde de estrume a fermentar ao Sol. Mas, isso são outros 500. Também já muitas vezes referi que o cinema português precisava de um cinema mais comercial. Infelizmente, parece que no nosso país "comercial" rima com "idiota" e "chunga" ao som de José Malhoa:

Trailer:

Felizmente ainda não me apercebi da existência de algum single de promoção que fosse tocado até à exaustão ("Adeus Pai" estou a olhar para ti).
Uma cena do trailer sugere uma sequência homossexual, qual Calígula alfacinha, infelizmente - ou não - vou ficar sem saber se se concretiza. Ouvi dizer, ou melhor, li algures que SPOILERS no final do filme ocorre uma exibição dos tradicionalmente portugueses números musicais de Bollywood. SPOILERS. Assim já preencheu a quota de diversidade do cinema para 2015?

Este eu ia ver:

(Imagem não é minha)

Resumindo, uma tentativa falhada de comédia, indecisa entre a homenagem ou a fuga ao original, desperdiçando alguns bons actores no meio dos da escola-da-televisão e comediantes que se deviam ficar pelos sketches. A banda sonora digna de uma feira é compensada por uma fotografia razoável. O penteado do Zé Pedro Vasconcelos dá vontade de esmurrar esse "Rei dos Conhés". Não sou lisboeta mas parece-me que o "quotidiano" em que as personagens se movem é a "Lisboa para turistas".

Estou enganado? Deixem os vossos comentários abaixo, ou no Facebook do CINE31.;
E veja todas as edições do "Filmes que Não Vi" aqui: "CINE31 - Filmes que Não Vi"

Ler Mais ...

0 comentários



Vi a curta-metragem. Achei engraçado. Não sou viciado em retrogaming mas reconheci as referências.

Ouvi dizer que ia ser transformado num filme. Só ao ver o primeiro trailer  descobri que tipo de filme ia ser. Elaborei uma lista apurada dos 5 motivos pelos quais este filme só podia dar merda. Chamei-lhe "Lista de 5 motivos que o filme só podia ser uma merda".

Lista de 5 motivos que o filme só podia ser uma merda:
  1. Adam Sandler
  2. Adam Sandler
  3. Adam Sandler
  4. Adam Sandler
  5. Adam Sandler
Este é o menos mau dos trailers:


Preciso dizer mais alguma coisa?
O primeiro a dizer-me "Ah e tal, o Adam Sandler entrou no "Punch-Drunk Love" leva um destes:

Previsivelmente, uma boa ideia numa curta-metragem não significa que seja uma boa ideia para um filme. Ainda para mais quando é "desenvolvida" e  concretizada pela posse do Adam Sandler. Espera-se todos os habituais maneirismos irritantes, humor reles e assassinato de ícones dos jogos do antigamente. Decerto vai fazer as delicias dos fãs do estilo de Sandler. Conheço 2 ou 3 dessas pessoas. E deixei de lhes falar.

Estou enganado? Deixem os vossos comentários abaixo, ou no Facebook do CINE31.;
E veja todas as edições do "Filmes que Não Vi" aqui: "CINE31 - Filmes que Não Vi"

Ler Mais ...

0 comentários


Bond-dia, bond-girls and bond-boys! Temos finalmente um trailer mais completo para SPECTRE:

 
Ler Mais ...

0 comentários


O melhor vídeo que poderão encontrar esta semana na Internet! Vi ontem mas já estava deitado e não consegui postar no Blog. Por isso, deliciem-se agora com este crossover entre os universos Star Wars e Mad Max:

"Road Wars - The Imperator Strikes Back"
do utilizador do Youtube Krishna Shenoi.

   

Awesome!
E agora o comentário insensível:
A Furiosa finalmente tem um falo - em forma de lightsaber - e as feminazis já podem morrer felizes.
Ler Mais ...

0 comentários


Quando entrei na sala de cinema, a minha expectativa para o "Homem-Formiga" ("Ant-Man") não era zero apenas pelas recentes críticas surpreendentemente positivas. O expectável, de um filme com vários percalços, é que não se esperasse grande coisa. Ainda mais quando a versão mais familiar de um personagem quase marginal (mas fundador dos Vingadores) da Marvel - Hank Pym (Michael Douglas) - é preterida - talvez apenas para fugir ao cliché da história de origem "cientista ganha poderes devido a experiência " - por outra, - Scott Lang (Paul Rudd) que começa marginal - literalmente, mas de bom coração - e que vai ser treinado para substituir o herói original. Esse aspecto confere ao filme um pouco o senso de legacia, a passagem de testemunho do herói, como o clássico Fantasma, cujos filhos herdavam o manto do pai, ao longo de gerações. O "manto" neste caso é um uniforme especial, inventado por Hank Pym décadas atrás, que permite ao utilizador encolher de tamanho e controlar formigas. Pym "contrata" Scott Lang, recém saído da cadeia por roubo, para roubar  trabalho de um rival que pode militarizar esse poder e mudar - para pior - o Mundo.
O Paul Rudd não tem trabalhos com o sentido de humor que aprecio, basta olhar à filmografia. No entanto dou o braço a torcer, foi uma agradável surpresa. 
O realizador Peyton Reed - que tem no currículo - variado - desde a série animada do "Regresso ao Futuro" até comédias com o Jim Carrey ou o Vince Vaughn; até  fez um trabalho competente. Fica a sensação que provavelmente o realizador original, Edgar Wright ("Shaun Of The Dead", "Scott Pilgrim") conseguiria elevar o filme a outro nível, mas acabou por deixar a sua marca visível no argumento final.  
E claro, sobre a personagem feminina em destaque - além da pequena Cassie, que serve de motivação a Scott - Kate dos Perdidos 4ever, felizmente não a fizeram a "fulana mandona do Jurassic World", a sua Hope Van Dyne é uma mulher revoltada mas resoluta e  independente sem ser apenas um "homem de saias" como Hollywood adora.
Michael Douglas está muito bem como Hank Pym, que na banda desenhada é conhecido como um dos homens mais inteligentes do planeta, criador do robot genocida Ultron e suposto adepto da violência doméstica - conta a lenda que essa cena , devido a um erro do desenhador se transformou de um empurrão acidental em uma agressão violenta de Hank à esposa Janet Van Dyne,a  heroína Vespa. Aqui é o mentor que insiste em treinar o "chosen one". Um mentor manipulador, rabujento, torturado pelo passado mas decidido a evitar a todo o custo que a sua criação seja libertada no mundo.

A comédia visual está bem conseguida, belo timing, e até os sidekicks/comic relief "étnicos" estão muito bem, uma energia contagiante. Estranhei algumas pequenas cenas cortadas - ou encurtadas - que vimos nos trailer e ficaram de fora. Esperava alguns efeitos mais impressionantes, mas consegui evitar a tentação de  overdose CGI habitual das "lutas finais", e foi das poucas vezes que lamentei na ter visto a versão 3D, que neste caso creio ser justificada.
Dito isto, gostava de saber se o puto caixa de óculos duas filas à minha frente estava mais entretido com o filme ou com as duas coleguinhas vestidas à fresca que o acompanhavam. Ah-ah, este parágrafo era só para ver se estavam a prestar atenção!
Voltando ao filme, é bastante divertido, sem ser tolo, está bem integrado no Universo Cinemático Marvel, sem excesso de referências, e com conflitos em menor escala. Mantendo a tradição, o problema dos filmes Marvel são os vilões pouco apelativos, mas nada que  comprometa. Como no "Guardiões da Galáxia", boa parte das mais valias estão na interacção dos personagens, e só posso recomendar, principalmente para limpar o palato do gosto da relativa desilusão de "Avengers: Age Of Ultron". Concluindo, o "Homem-Formiga" ("Ant-Man") é um dos melhores filmes da Marvel.
Ler Mais ...

0 comentários


Um fã vez uma versão do trailer do Mundo Jurássico...e não vão acreditar o que aconteceu!
Uau! Aquela cena mudou a minha vida!
É ou não é melhor que o filme inteiro?

 Desculpem o título e texto de introdução clickbait, mas andava há meses com vontade de fazer um destes títulos sensacionalistas e este trailer especial criado pelo Tio CinemaXunga foi o momento ideal. Chega de conversa e toca a ver:


Criei um trailer para Jurassic World que me parece muito mais apelativo.
Posted by CinemaXunga on Sexta-feira, 17 de Julho de 2015
Ler Mais ...

0 comentários



Este até merece post só para ele:

   

Não estou contente com a continuação da insistência do "false God", gostava de ver um filme do "Super-Homem" e não dos "Watchmen" que já têm um filme muito bom. A versão cínica do Super só funciona bem em Elseworlds. #notmysuperman Mas vou ver na mesma, é claro. P.S. - "Super-Homem" salva o Mundo Inteiro = Culpado por meia dúzia de prédios com pessoas que foram pelo ar. #argh
Ler Mais ...

0 comentários



Provavelmente encontrei por acaso o novo Rei da Chungaria. Se há coisa que adoro mais de cópias, são cópias descaradas. Estava a navegar por albuns do Pinterest, quando num grupo de capas de revista sci-fi dos anos 70, saltou à minha face, uma versão que faz lembrar "levemente" o vilão Darth Vader. A legenda da foto não engana: "Darth Who"?


Julguei ser algum vilão da série clássica do "Doctor Who", mas com uma pesquisa rápida percebi que é o malvado "Graal"; do filme italiano "The Humanoid" ("L'umanoide"), que vi descrito como um bizarro clone de "Star Wars". E sim senhor, parece-me uma boa descrição.

A cena inicial do trailer, que duplica a melhor abertura do cinema de sempre, já me deixou a salivar para ver o filme. Mas fiz pause para vir aqui começar a escrever. Vou agora voltar ao vídeo. Espero que não desiluda. 

 Trailer:

   

 Um clipe do filme:

 


Podem ver o filme completo no Youtube:



Depois de visto o trailer e o clipe, nota-se as "influências" de "A Guerra das Estrelas", mas têm um arco bem diferente, em redor da criação forçada do humanóide que dá titulo ao livro.
Provavelmente reconhecerão a bond girl Barbara Bach - Lady Agatha, e o seu generoso decote - e o bond villain Richard "Jaws" Kiel  e a sua "beleza" peculiar, transformado no humanóide. Aposto que a Evil-Lyn dos Mestres do Universo tirou umas dicas das vestimentas desta Lady Agatha.
A banda sonora esteve a cargo do mestre Ennio Morricone, e temos ainda direito a um droid canino, talvez inspirado pelo Muffit II da Galactica e pelo K-9 do Doctor Who. Fiquei mesmo interessado em ver, vai para a watchlist.

E assim são, os dias do "Chungaria Extreme": 
http://cine31.blogspot.pt/search/label/chungaria%20extreme
Ler Mais ...

0 comentários


< Inserir comentário sobre a importância de mais uma edição da Comic-Con> <trocadilho básico>

Vamos então ver os destaques da San Diego Comic-Con de 2015:


"Star Wars: The Force Awakens"

O momento mais aguardado do evento. Já se sabia que não haveria novos teaser ou trailer, mas além das entrevistas os fãs foram brindados com um vídeo inéditos, com novas imagens dos bastidores. Excelente!



E os melhores momentos do painel:
Mais vídeos:


"Batman V Superman: Dawn of Justice"


O Trailer:



"Suicide Squad"



"X-Men Apocalypse"


Agora em versão oficial o primeiro poster com o vilão Apocalypse.

"Doctor Who" - Trailer da 9ª temporada, Peter Capaldi em grande!

Esta temporada parece bem diferente das anteriores...

"Sherlock" 

A série mais aguardada pelos fãs, aguça o apetite com este pequeno clipe do especial de Natal, victorian style:

"Ash Vs The Evil Dead"

Acho que ninguém esperava que isto tivesse tão bom aspecto! Bruce Campell rocks!


"Fear The Walking Dead" 

O primeiro trailer do spin-off de "The Walking Dead"
E agora vou voltar para o meu cantinho chorar por não estar lá....

Mais no Tumblr do CINE31 com a tag SDCC2015.

Recordemos os anos anteriores:
Ler Mais ...

0 comentários



Apesar de James Horner (1953 - 2015) ter composto a banda sonora do melhor filme de todos os tempos - "Commando- a imprensa vai apresentá-lo na feed de noticias como "o compositor do Titanic", aquele pequeno filme indie de final do século XX. James Horner faleceu aos 61 anos num acidente de aviação. "Compositor James Horner morre em queda de avião na Califórnia".

Em termos das bandas sonoras que criou, sempre me incomodou - como a muitos - a sua tendência para repetir temas de trabalhos anteriores - e mais tarde também descobri que de outros trabalhos clássicos - uma espécie de autoplagiarismo que torna muitas das suas trilhas muito semelhantes. Sempre hesitei entre a preguiça ou coerência da identidade do corpo de trabalho. Seja como for, ao fazer zapping sabemos sempre quando foi ele a fazer a  BSO do filme.

Recordemos então alguns dos seus trabalhos:
Uma lista do Youtube que compila vários videos:


Incluídos nos vídeos excertos das bandas sonoras de Aliens, Apollo 13, Uma Mente Brilhante, Titanic, Enemy at the gates, Glory, Braveheart, Lendas da Paixão, Deep Impact, Battle Beyond The Stars, Apocalypto, etc.

Ler Mais ...

0 comentários


"O Tubarão" ("Jaws") de 1975. O filme ideal para rever antes de ir à praia faz hoje 40 anos! 
Quais são as vossas cenas favoritas? Saibam mais sobre o filme, a estreia em Portugal e descubram a cena que mais me assustou no blog da "Enciclopédia de Cromos": "Tubarão" (1975).

Ler Mais ...

2 comentários

Olá visitantes internautas e mãe que me apoia em tudo.

Bem-vindos à nova rubrica do CINE31 chamada:

Autor: [Patrão] David Martins

Este é o espaço onde eu analiso filmes e sabe-se lá mais o quê acompanhado por vídeo e pela minha voz asmática.

 Comecemos isto com Jurassic World. Isto ainda é um episódio piloto para ver o que resulta e o que não resulta, pelo que agradecia qualquer sugestão sobre o que acham que devo melhorar. Juntos, podemos fazer a diferença neste planeta. Separados também, mas não é tão romântico.

Aqui fica então o teste:




Ler Mais ...

0 comentários



Parece que foi ontem, mas o fantástico "Batman Begins" já estreou há 10 aninhos! E continua a ser o meu favorito da agora trilogia do Bat-Nolan. Aproveito para recordar a "crítica" que escrevi em 2005 e que revisitei em 2011: "Batman Begins" (2005).

"Batman Begins" (2005)

Apareçam e comentem no Grupo no Facebook: "CINE31 Grupo Oficial".
Ler Mais ...

0 comentários

Hoje faleceu uma figura lendária do cinema, o grande  Christopher Lee.
A sétima arte ficou mais pobre,mas para a história ficam os seus trabalhos, desde o mais icónico Dracula, a um Jedi caído em desgraça, passando pelo feiticeiro Saruman, o detective Sherlock Holmes, etc.

Ler Mais ...

0 comentários



Nasci uns anos tarde demais para apreciar a Saga Star Wars original no cinema. A Guerra das Estrelas foi o filme que marcou uma geração de cinéfilos e de cineastas. Só apreciando a saga na TV - e ficando fã imediatamente - a minha "Guerra das Estrelas" foi o "Parque Jurássico", o "Jurassic Park" de 1993, a maravilhosa adaptação (um pouco livre) de Steven Spielberg do livro homónimo de 1990 de Michael Crichton. A apresentação ao grande público aconteceu a 11 de Junho de 1993, e só chegou ás costas portuguesas - com o atraso da praxe - em 1 de Outubro do mesmo ano. Tal como no resto do planeta, foi um êxito.

Trailer:


Como muitos, aguardo com ansiedade pela nova entrega, "Jurassic World"que estreia hoje em território nacional - esperando uma viagem, não, uma aventura em grande. A ver vamos...

Já muito foi dito sobre o revolucionário "Jurassic Park" e as suas sequelas medianas, por isso deixo o link para o meu texto sobre o filme e para a revista que me encantou na adolescência e despertou o interesse pelo cinema.








Ler Mais ...

0 comentários