Find us on Google+

Widgets



2012 foi um ano de grandes filmes. Mas eu podia dizer isso sobre qualquer outro ano portanto vou-me deixar de parvoíces.

 Bom, talvez, se tenho que apontar algo sobre 2012 é que foi um ano com imensos filmes de entretenimento. O que destaca este ano não é, no entanto, só isso mas sim o facto de serem bons filmes de entretenimento. E o Battleship, onde as piadas sobre o naufrágio que foi este filme foram repetitivas mas irresistíveis. Assim como a quantidade de vezes que usei a palavra "filme" neste parágrafo mas é o que acontece quando se mistura um individuo que não domina o português com um artigo de relevância cinematográfica.

 Meus amigos leitores: escrever um Top sobre os meus filmes favoritos de 2012 não é fácil.


Quem quero enganar, é claro que é. Aqui se segue o meu Top pessoal e, embora seja ridículo eu ter de mencionar isto mas enfim, estou na internet, é meramente com base no que vi, no que gostei e assim à pressão, no que me lembro. Não significa, de forma alguma, que estes filmes são melhores do que os outros nem a ordem significa algo mais a não ser o grau da minha avaliação que consiste meramente em dois parâmetros: o quão eu gostei e o quão irrita alguém eu por o filme em determinada posição. Já adivinho que terei de fazer "copy+paste" disto tudo umas três vezes nos comentários. Aqui vai o meu Top!

16. - TABU
de Miguel Gomes



É uma memória a recordar para sempre a minha ida a um cinema de um centro comercial e ver um filme português que efectivamente gostei. Não sou da maioria que acha que o nosso cinema é uma bodega mas há alguma diferença entre maravilhar-me com um filme português no S. Jorge e no El Corte Inglês. Além do ar-condicionado.
 Pessoalmente, apesar de ter gostado bastante do filme e ver onde está o seu valor além da fotografia espectacular, não o acho tão incrível como se defende na internet e achei até aborrecido em várias partes mas sou só um e não é que a minha voz tenha peso em alguma coisa. O que sim tem peso são as bigornas que me vão atirar na rua após lerem este artigo.

15.- J. EDGAR
 de Clint Eastwood



Mais um filme que sofre da ratoeira que é o markting. É por casos como este que o David Fincher diz que, por ele, não havia trailers para os seus filmes. Ou se calhar não é por isto mas parece-me também um bom argumento.
 J. Edgar engana ao fazer-nos pensar que se trata de um filme sobre a origem da CIA tal como a conhecemos e amamos. Em vez disso, é sobre a infância e sexualidade do yours truly, J. Edgar. Sempre gostei do título. J. Edgar J. Edgar.
 Além da música do trailer que adoro e consumo às colheres de vez em quando, é uma biopic que achei suficientemente interessante. Não digo que é, nem de perto, o melhor que o Eastwood e o DiCaprio fizeram mas acho que é bem melhor se visto com outros olhos.


14.- THE AVENGERS 
de Joss Whedon


Agora observem como se junta os intelectuais com os nerds extremistas: O que é que o Tabu tem em comum com o Avengers?

Resposta: Não os achei tão incríveis como a internet.

O filme é muito divertido mas não achei nada de extraordinário aqui além do Hulk. Equipas de super-heróis já existiam e em momento algum senti que os nossos heróis e o Capitão América que não é nosso mas da, portanto, América, corriam algum perigo já que souberam ter uma batalha épica com um exercito alienígena .. passado num quarteirão.

 Mas eu também me farto de contradizer com este filme pois apesar de me queixar imenso dele, também não consigo negar que me divertiu imenso. Talvez me tenha decepcionado mais do que eu queria mas o que tem de bom é extremamente memorável. O Hulk e a piada do Schwarma que fez os americanos aprenderem que existe mais uma comida estrangeira.


13.- THE CABIN IN THE WOODS
 de Drew Goddard



 Estão a ver? Vi um Goddard! Pelo menos é parecido, pronto!
 Sobre este tenho muito para dizer pois o que há para amar é também muito mas acho que basta falar sobre as duas coisas que o cinema tem de melhor e, infelizmente, tanto lhe falta:

SPOILERS SPOILERS SPOILERS SPOILERS SPOILERS
Um unicornio assassino e a Sigorney Weaver <3
SPOILERS SPOILERS SPOILERS SPOILERS SPOILERS


12.- 21 JUMP STREET

 de Phil Lord e Chris Miller



 Olhem, provavelmente fiz a mesma cara que vocês. Eu não estava à espera de gostar tanto disto mas a verdade é que ri, genuinamente, imensas vezes ao longo do filme. Tem partes um pouco mais típicas ou simplesmente inúteis mas o que há para rir, é mesmo para rir. Porra, eu gostei do Ice Cube neste filme! Que mais é preciso eu dizer?!

11.- MILLENIUM 1 SEM SABER SE HAVERÁ O 2 OU 3: THE GIRL WITH THE DRAGON TATTOO
 de David Fincher



Após rever o filme, talvez o ache um pouco longo de mais e a história com pedaços insonsos (é impressionante como parece que estou a querer dizer muito quando na verdade é o mesmo que não escrever nada) mas a relação entre a Rooney Mara e o Daniel Craig são que baste para fazer disto divertido de se ver. Ainda que tenha cenas horripilantes das quais não me quero recorVAMOS PASSAR AO PRÓXIMO!

10.- DREDD
de Pete Travis



Muito provavelmente o melhor filme que ninguém viu. Ou talvez não, há por aí muita coisa boa também mas este foi das minhas maiores surpresas do ano. Arrisco-me a dizer que é o melhor filme de banda-desenhada de 2012 e tendo em conta a concorrência gigante, é incrível. Acho que ninguém esperava nada disto mas resultou precisamente por ser o contrário do que se esperava: muito, muito mas muito simples (o que lhe resulta em contra e a favor), deliciosamente violento e sem Rob Schneider, Dredd tem tudo para ser um clássico dos anos 80. Só não está mais elevado na minha lista nem ganhou nada de jeito lá fora porque não juntou o deliciosamente violento com o Rob Schneider.

9.- SAVAGES 
de Oliver Stone



Mal soube o que fosse sobre este filme disse logo: Olha, este vou evitar! Pareceu-me o típico filme de carteís ou cartels ou... mariachis com malas de violinos a esconderem automáticas. Maneira que, não aprecio.

 E assim foi. Evitei até muito, muito depois. Mas uma amiga decidiu que este era o filme ideal para passarmos o serão naquilo que é o mais bonito dos actos de amizade: ver violência que nos faz torcer! E realmente valeu a pena. Curiosamente, como muitos deste Top, achei o filme um pouco longo demais mas quando diverte, diverte. Confesso que não apreciei e não cheguei a perceber se liguei ou não às personagens principais, o trio (em diversos sentidos), mas além de Savages conseguir este patamar graças à vilã e ao John Travolta (que são personagens diferentes.. eu não acredito que acabei de fazer esta piada mas agora também não vou apagar) consegue mais do que metade da pontuação graças ao Benicio Del Toro que não só carrega o filme às costas como é das personagens mais desprezíveis como não via há um tempo. Minto, eu vi o filme dos Morangos com Açúcar mas Benicio também não esteve mal! Estás perdoado pelo The Wolfman!

8.- HUGO

 de Martin Scorcese



Eu tenho que rever este mas para ver se gosto mais dele. Durante a maior parte do filme, vagueia-se um sabor pela minha boca. O sabor do Pouco. Sabe mesmo a Pouco. Louvo por ter um espírito Steam-Punk e o Sasha Baron Cohen, e por ter os dois ao mesmo tempo, mas falta algumas pedrinhas de sal, não sei.

Então mas porque raio está aqui ou, vá, tão alto por aqui?

Por culpa de uma certa cena que evolve o Ben Kingsley. Quem viu, sabe do que falo. E toda essa cena fez valer a pena o resto do filme!

7.- THE HOBBIT: AN UNEXPECTED TRILOGY 

de Peter Jackson



Bem... como eu já não vou sobreviver a isto de qualquer das maneiras, mais vale também admitir isto:

Eu... gostei mais do Hobbit do que dos Senhor dos Aneis.

Espero que não me levem a mal.

6.- THE DARK AMO-TE RISES
 de <3



Vocês, fiéis melhores amigos leitores, pertencem a um de dois possíveis grupos: Os que estão surpreendidos por este estar tão baixo no Top ou Os que não me conhecem de lado nenhum.

 A verdade é que The Dark Knight Rises desaponta em imensos aspectos. Mais irritante, desaponta em aspectos estupidamente fáceis de corrigir. Mas... sim, há um severo mas... o que faz de bom foi, para mim, fantástico e felizmente tem imenso de bom. Fez o que faltou ao Avengers: importar-me com a personagem principal por achar que realmente corria um enorme risco. Eu vi o filme várias vezes no cinema e entretanto várias vezes em casa. Cada vez gosto mais e muitas das minhas queixas desvaneceram ao perceber que afinal o filme explica certos aspectos, ainda que por apressados segundos. Não me sai da cabeça o raio do filme. E além disso tem o Joseph Gordon-Levitt.

Mas outras coisas infelizmente prevalecem e não há volta a dar. Desapontou-me? Não sei. Desaponta querer falar melhor dele e não achar honesto, isso sim, mas posso dizer com toda a certeza que apesar das porcarias o filme ainda consegue ser incrivelmente memorável para mim e fazer tudo o que eu queria ver e ainda me surpreender nesta que é a trilogia que eu mais amo de forma doentia e muitas das vezes a roçar o badalhoco.

5.- CON AIR
de Simon West



 Eu sei o que estão a pensar: "Então mas o que está aqui a fazer um filme de 1997 que passa a vida no canal Hollywood?! Não é que se é para isto eu vou voltar a abrir a página do Hattrick na secção de transferências!"

 Sim, é verdade, este filme é de 1997. Mas como devem de certo saber, é o melhor filme da história do cinema portanto tem que entrar algures no Top de qualquer ano.

4.- LOOPER
 de Não o conheço de lado nenhum mas quero ver mais coisas



 Por falar em surpresas do ano, cá está mais uma. Looper apanhou todos numa chuva torrencial e foi falado durante semanas na blogosfera. Time-travel-movies há muitos, mas só um com dois Bruce Willis..es.

 Algumas ideias inovadoras, muitos trocadilhos com o familiar, os típicos paradoxos e um puto que além de ter uma actuação absolutamente incrível consegue pertencer à categoria gourmet de "Puto que não é irritante num filme".

 E além disso tem o Joseph Gordon-Levitt.

3.- PROMETHEUS 
de Ridley Scott



Eu adoro! Eu adoro o Prometheus! Lembro-me perfeitamente de estar no cinema a pensar que ESTE sim será o meu filme do ano! Para variar, a coisa decepciona um pouco lá para a frente, irritando-me profundamente que dê a sensação de haver mais sequelas no futuro. Mas ADORO o ambiente, ADORO a conversa na cantina para conhecer a tripulação como o tipico Alien-movie, ADORO a banda-sonora, ADORO o tema principal, ADORO o Michael Fassbender e, esta é a parte gira, ADORO que faça mais perguntas do que respostas! A sério, interessa-me muito mais interrogar-me sobre o filme durante dias do que saber logo tudo e meditar. Passei uma semana a juntar peças e cheguei a uma conclusão bastante interessante mas ainda com pontas soltas. Infelizmente, li um pedaço da internet que tirou logo uma das peças bases mas é por isso que eu não vou ver as cenas extra do filme. Prometheus é aquele filme que pode ser tanto quanto eu queira e não quero estragar isso!

2.- SKYFALL
 de Sam Mendes



CUM

CARAÇAS!

99,5% dos frames são absolutamente LINDOS de se ver! E não digo isso a nível homossexual pelo Daniel Craig embora quem sinta algo do género deva acrescentar valores à percentagem mas nota-se tão bem que desde a roupa ao cenário foi pensado ao mais fino pormenor! A fotografia do filme é fantástica e arrisco-me a dizer que foi a melhor do ano ou, pronto, vá, a minha favorita.
 É o filme que Daniel Craig merece! Adoro o Casino Royale por não ser muito Bond e adoro o Skyfall por só ter os aspectos que eu gosto no Bond... nomeadamente o Q e pouco mais. Isto parece algo novo, aqui as personagens são realistas. Entendo que estou a dizer que o Bond, estou a reparar no paradoxo sim mas não me refiro à forma como ele escapa das cenas de acção mas sim aos seus sentimentos. E a palavra chave aqui é sentimentos, no sentido de ele afinal ter alguns. É frígido porque assim o tem de ser mas viajamos o suficiente para o seu passado para o entender melhor. E pensamos também no futuro pois Bond não está para o novo e é um tema constante no filme.

 E Bardem... pouco aparece mas quando o faz é tão, tão divertido! A meu ver a loooonga espera pela sua aparição não só compensa como dá todo o tempo necessário para criar suspense e aperceber-nos parte do perigo que é este menino. E... bem, não quero revelar mas... há uma cena dele que... bem, vamos dizer que me deixou de boca aberta.

 Tem o meu voto para melhor filme de acção do ano e é um forte professor para ensinar como se fazem.


E aquele que é, para mim, o filme que mais gostei de 2012 é....


1.- AMIGOS IMPROVÁVEIS 
de Olivier Nakache e Eric Toledano



Eu fiquei sem palavras para quanto adorei este filme. Literalmente, adorei cada frame! Do principio ao fim não parei de gostar! A história, honestamente, à excepção de alguns twists é mais do que já vimos tanta vez (se bem que isto é baseado numa história verídica) mas o duo principal é tão carismático, especialmente Omar Sy, que já agora tem um apelido fabuloso, que foi-me impossível não gostar dele. Todas as cenas foram fantásticas e praticamente todo o filme ainda me está na cabeça e só o vi uma vez. E não deixa de ter uma fotografia fantástica para se meter na bimby também. Por esta altura eu já devia estar habituado mas quando só espero o pior de um filme, por norma a surpresa tem sido o exacto oposto. Não posso recomendar este filme o suficiente por isso nem o vou fazer. Não o vejam. Percam este filme fantástico.



Agora... vou... preparar-me...



Categorias: , ,

3 comentários até agora:.

  1. Sobre o Hugo, não sei bem o que te dizer...

    De resto, concordamos numa ou outra coisa, mas discordamos em muito :)

    é por isso que somos uma família disfuncional, mas feliz

  2. Como eu digo, tenho que rever o Hugo para saber se gosto mais dele =P
    Tenho esperança que sim.

  3. Muitos filmes que vc favoritou eu ainda nao vi mas gostei muito dos vingadores, looper, Hobitt, Batman O Cavaleiro das trevas ressurge. Muito interessante sua lista incluir prometheua eu particularmente nao vi mas muita gente o colocou como os piores do ano agora fiquei na duvida sera q é ruim mesmo? Vou ter q tirar a duvida. Visite-nos www.umcinefiloemjampa.blogspot.com

Deixe o seu comentário:

Partilhe os seus comentários connosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...