Find us on Google+

Widgets


Sam Bell vive sozinho há três anos numa base lunar, vigiando e reparando equipamento de mineração. Além das gravações que recebe da Terra, a sua única companhia é Gerty ( a voz de Kevin Spacey) o robot/inteligência artificial que gere a base. Mas duas semanas antes do final do seu contrato, Sam começa a acusar o cansaço e a solidão, até que o inevitável acidente acontece....

Um dos pontos fortes de Moon é ser um filme de ficção cientifica hardcore, ou seja, sem fantasias estilo  StarWars (não que isso tenha algum mal, pelo contrário, mas são ambientes diferentes). A grande maioria da tecnologia - do que aparenta ser um futuro próximo - está baseada em tecnologia actual, e mesmo os pormenores mais invulgares do argumento estão baseados em hipóteses cientificas. Só me escapa como conseguiram criar gravidade artificial dentro da base lunar...
O design do equipamento e localizações é reminiscente de "2001: Odisseia no Espaço", mas também houve preocupação em torná-lo funcional e com aspecto usado, com sujidade acumulada, mais próximo da realidade do que do aspecto limpinho e brilhante à Star Trek.
A banda sonora atmosférica cumpre a sua missão sem desviar as atenções da actuação de Sam Rockwell, a estrela do filme, que sem grandes excessos consegue entregar uma grande variedade de emoções. Os efeitos especiais são discretos, realistas e eficazes. Outro realizador provavelmente pegaria na mesma história e filmaria com um ritmo mais adrenalítico, mas Duncan Jones realiza a sua primeira longa-metragem sem pressas, o que em algumas sequências funciona, mas noutras joga contra, arrastando um pouco o ritmo do filme, mas simultâneamente permitindo ao espectador digerir o que está a ver, tecer hipóteses, reflectir sobre as perguntas que não são feitas em voz alta. Esperava um pouco mais de mistério - nos primeiros minutos temi que fosse ser um novo remake de Solaris - mas é um bom filme de ficção cientifica com uma forte componente de drama. E talvez tenha sido essa sua invulgaridade lhe tenha  concedido um certo hype entre a crítica, que me fez esperar muito mais do que um bom filme.


Categorias: ,

4 comentários até agora:.

  1. O filme, tenho de acabar de vê-lo. Vi o início e gostei bastante mas ainda não tive oportunidade de retomá-lo.

    Parabéns pelo teu novo banner aí de cima, está um espanto, sinceramente!

  2. CINE31 says:

    Obrigado! :-) o banner agora foi tron-izado ;-) mas verdade seja dita, só fiz parte do trabalho e com ajuda de um tutorial de Photoshop ;-)

  3. Também gostei bastante. Foi para mim um dos melhores filmes do ano passado. A interpretação de Sam Rockwell está excelente.

  4. Mings says:

    Galera do Cine31,
    passando pra desejar um Feliz Natal e
    que 2011 seja um ano de muitas realizações e
    postagens maravilhosas, é claro!

    Abraços

Deixe o seu comentário:

Partilhe os seus comentários connosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...