Find us on Google+

Widgets



Perseu, um dos vários filhos bastardos de Zeus [o Pai dos Deuses da antiga Grécia] parte numa jornada para conseguir uma arma capaz de evitar a destruição do Reino de Argos, ameaçado pelo monstro Kraken que segue ordens do deuses, que estão ofendidos e furiosos pela revolta dos seres humanos. Na sua viagem o jovem e inexperiente Perseu vai contar com a ajuda de vários guerreiros, um bruxo, e Io, uma mulher amaldiçoada. Perseu tenta resistir a assumir a sua natureza de semi-deus, mas os  perigos com que se defronta são imensos e brutais.


Crítica: Ainda acontecem boas surpresas no cinema contemporâneo, ao contrário da "morte do cinema" que os oráculos profetizam de cinco em cinco anos. Este remake de um clássico épico de aventuras dos anos 80 (que não envelheceu lá muito bem, diga-se de passagem) tem as suas falhas, é certo, mas não o considero tão abjecto como a maioria da crítica o escarrou quando saiu nos cinemas. Não será tão carismático como o original e as suas personagens, mas não estamos nos anos 80 e nesta produção decidiu-se dar primazia aos seres humanos e não a deuses vestidos de togas entre colunas gregas. Como em muitas "jornadas do herói"  o protagonista empolga pouco no inicio até encontrar a motivação "certa" para derrotar os inimigos. Pena que o actor protagonista não pareça ter-se esforçado muito para tornar o seu Perseu mais que um action hero. Mas o argumento também não deixou muito espaço para tal, o que é pena porque a maioria dos secundários esteve bem , e a pedir mais tempo de ecrã. Grande parte das reclamações do público estavam ligadas ao "falso 3D"  em que o filme foi exibido, mas como assisti à versão a 2D não me vou pronunciar muito sobre isso, no entanto acredito que um filme de acção moderno, com os movimentos de camera mais livres e enérgicos é incompatível com as técnicas 3-D existentes, ainda para mais quando o filme , como aconteceu  neste caso, é convertido de 2D para 3D na pós-produção.
É uma película de acção divertida, com excelentes cenas de acção, que não vai ficar para a história como o seu homónimo [que quando saiu foi original e icónico] mas que é um bom filme pipoca. Recordem que - digo eu - o cinema também pode ser mais que filmes de "arte", e apesar de "Choque de Titãs" ter potencial para mais e melhor, são 106 minutos bem passados.

4 comentários até agora:.

  1. Nekas says:

    És do que melhor fala do filme, a mim, não me vai passar à frente dos olhos!

    Abraço
    Cinema as my World

  2. Dora says:

    Não vi e não vou ver. Não gosto deste género mas vim cá dar um oi :-)

  3. CINE31 says:

    Nekas: é verdade, mas considero que o filme não é tão mau como o pintam, saem centenas de coisas piores todos os anos, mas como este teve um grande hype, é "da moda" falar mal ;-) falem mal, mas vejam antes é o que costumo dizer :-D

    Dora: Obrigado pela visita então ;-)

  4. Nasp says:

    O filme a mim surpreendeu-me....

    E muito bem conseguido como filme pipoca, e com um bom filme familiar para ver domingo à tarde!

    Gostei mt do Gemma Arterton :)

Deixe o seu comentário:

Partilhe os seus comentários connosco!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...